ALERTA: PUBERDADE PRECOCE É UMA DISFUNÇÃO E DEVE SER TRATADA POR UM *ENDOCRINOLOGISTA*

ALERTA: PUBERDADE PRECOCE É UMA DISFUNÇÃO E DEVE SER TRATADA POR UM *ENDOCRINOLOGISTA*
ALERTA: PUBERDADE PRECOCE É UMA DISFUNÇÃO E DEVE SER TRATADA POR UM *ENDOCRINOLOGISTA*

Desenvolvimento precoce é de 98% mais comum em meninas do que em meninos; pais e responsáveis precisam estar em alerta e saber identificar

O tratamento da puberdade precoce depende de sua causa.

Pais e responsáveis precisam acompanhar o desenvolvimento das crianças. A fase de crescimento é normal, mas quando algumas etapas chegam muito rápido é preciso estar atento. Alguns sinais como aparecimento de mamas, pelos pubianos, menstruação, aumento dos testículos, aceleração do desenvolvimento ósseo, em meninas e meninos, antes dos 8 anos, é preocupante. 

Se não diagnosticada e tratada, esta alteração pode ter impacto psicológico e social na criança, além de afetar seu desenvolvimento. 

“As crianças que apresentam desenvolvimento dos caracteres sexuais precocemente devem ser examinadas e, em muitos casos, precisam ser tratadas. O principal objetivo do tratamento é impedir que a criança chegue à puberdade antes do tempo desejado e possa, assim, manter seu desenvolvimento cronológico compatível com a idade óssea. As crianças mais desenvolvidas do que colegas da mesma idade podem desenvolver problemas de ordem psicológica e social, como depressão e discriminação. O diagnóstico e o tratamento precoces impedem o desenvolvimento e previnem estas consequências indesejáveis

A puberdade é comandada pelo eixo hormonal hipotálamo-hipófise-gônada. Quando este eixo é ativado antes da idade habitual, ocorre a puberdade precoce. A puberdade precoce pode ser central - ocasionada por alterações no sistema nervoso central, muito mais frequente, ou periférica, mais rara, que tem origem em outras partes do corpo, como tumores nos ovários ou testículos, problemas das glândulas adrenais e outros.

São diversas as possíveis causas da puberdade precoce, dentre elas estão as de origem familiar, idiopática (sem causa aparente) ou orgânica, como tumores e meningite, por exemplo. É importante ressaltar que, apesar dos pais poderem carregar o gene para puberdade precoce, ela não é hereditária. As meninas tendem a menstruar pela primeira vez próximo à idade da primeira menstruação da mãe, mas, também não é uma regra.

A puberdade precoce pode ocorrer também pela administração de hormônios de forma indevida, seja via oral (com medicamentos ou suplementos) ou cutânea (alguns cremes ou pomadas com estrógeno na composição). Além das situações sem causas aparentes, também há maior risco de a criança desenvolver puberdade precoce se:

 -Está muito acima ou abaixo do peso recomendado para a sua idade e altura;

 -Foi exposta aos hormônios sexuais (estrogênio e testosterona) antes do tempo, por meio do uso de cremes, pomadas ou suplementos para adultos que contenham estes hormônios, se tiver outras condições médicas,

 Como- Síndrome de McCune-Albright, hiperplasia adrenal congênita e, em casos raros, hipotireoidismo;

- Tiver recebido tratamento com radiação no sistema nervoso central, como os utilizados para tratar tumores, leucemia, entre outros.

Nos meninos, a puberdade precoce é menos comum, mas suas causas podem indicar problemas mais sérios no sistema nervoso central ou nos testículos ou nas glândulas suprarrenais.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado por um conjunto de informações, a partir do histórico clínico da criança, exame físico e testes complementares, como dosagem hormonal e exames de imagem como raio X de punho para avaliação da idade óssea e sua comparação com a idade cronológica. Os médicos especializados são os pediatras e endocrinologistas pediátricos.

Como a puberdade começa

Geralmente, a puberdade começa em meninas entre 8 e 13 anos de idade e, em meninos, entre 9 e 14 anos. Na puberdade precoce, os sinais são semelhantes, porém acontecem antes do período considerado normal. Veja como a puberdade normalmente acontece:

Quando o corpo de uma criança está pronto para iniciar a puberdade, uma parte do cérebro chamada de hipotálamo libera um hormônio chamado de hormônio liberador da gonadotrofina (GnRH).

Este hormônio faz com que a hipófise (uma pequena glândula na base do cérebro) libere dois outros hormônios: o Hormônio Luteinizante (LH) e o Hormônio Folículo Estimulante (FSH).

O LH e o FSH estimulam os ovários e testículos a produzirem, principalmente, estrogênio nas meninas e testosterona nos meninos – hormônios responsáveis pelas alterações que vivenciamos durante a puberdade.

Importante: As informações contidas nesta matéria não devem ser usadas para diagnosticar ou prevenir doenças sem a opinião de um especialista. Antes de iniciar qualquer tratamento, procure um médico

Atenção: Ao observar sinais como esses ou outros nessas características, procure um endocrinologista.

 

 

Texto escrito por:
Dra. Patrícia Peres Almeida Gomes
Endocrinologista
Cianorte / PR

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Acesse a sua conta Guia Saúde e participe da nossa conversa

Compartilhar

Facebook Twitter LinkedIn Email