Matérias

Guia SaÚde Matérias

Dor de estômago
Dor de estômago

Gastroenterologia

Dor de estômago

Texto escrito por: Dr. Vinicius Lacerda

E ai pessoal! Seguimos nossa tour pela área de gastroenterologia e cirurgia do aparelho digestivo. Hoje vamos falar de uma queixa comum que é a “dor de estômago”, que normalmente as pessoas referem na região mais alta da barriga.


Acontece que nem sempre essa dor ocorre no estômago propriamente dito.

 

Esse tipo de queixa também é conhecida entre os médicos como “dispepsia” e pode envolver doenças do estômago como a gastrite e as úlceras pépticas, mas também podem ocorrer devido a doenças do esôfago como o refluxo gastro-esofágico que causa inflamação no esôfago, também conhecido como esofagite. Outro órgão afetado é o duodeno, que é a porção do intestino delgado que vem logo após o estômago. O exame para identificar essas doenças é a endoscopia digestiva alta, que consiste na introdução de uma câmera pela boca para visualizar esses órgãos por dentro, após realizar uma sedação do paciente.

 

A maioria dessas doenças hoje em dia é tratada com medicamentos que reduzem a produção de ácido pelo estômago, como o omeprazol (e vários outros “prazol” que tem por aí) e a ranitidina. Mas em alguns casos selecionados podem ser realizadas cirurgias como no caso do refluxo e úlceras complicadas com sangramento ou perfuração.

 

Existem outras doenças que causam dor nessa região, como as pedras na vesícula biliar. O seu diagnóstico é feito por meio de uma ultrassonografia do abdome e, quando identificadas, normalmente necessitam de tratamento cirúrgico para a retirada da vesícula junto com os cálculos. Essa cirurgia atualmente é feita por videolaparoscopia, que consiste na realização de furinhos no abdome sem grandes cortes. Normalmente é realizada pelo cirurgião geral ou cirurgião do aparelho digestivo.

 

É importante atentar para sinais de alarme que podem acompanhar essa dor de estômago, como perda de peso,vômitos, dificuldade para engolir, sangue no vômito ou nas fezes, anemia que é a redução dos glóbulos vermelhos no sangue, idade avançada e histórico de câncer na família. Esses sinais podem indicar uma doença mais grave como o câncer de esôfago ou de estômago e exige a realização de uma endoscopia com certa urgência.

Dr. Vinicius Lacerda