Renuvion - Tecnologia contra flacidez

Renuvion - Tecnologia contra flacidez
Renuvion - Tecnologia contra flacidez

A flacidez de pele é um problema que incomoda muitas mulheres, principalmente aquelas que passaram por uma gestação ou por um processo de emagrecimento com grande perda de peso.

Para solucionar esse incômodo, a cirurgia plástica hoje conta com o Renuvion, um aparelho que ao ser introduzido sob a pele gera um jato de plasma superaquecido, capaz de estimular a produção de colágeno na região aplicada.

O que é o Renuvion?

O Renuvion é considerado um dos maiores avanços tecnológicos da cirurgia plástica dos últimos 20 anos, pois trata a flacidez da pele sem provocar grandes traumas no tecido. O aparelho chegou ao mercado em 2018 e o seu uso no Brasil foi aprovado pela Anvisa em 2020.

Onde aplicar o Renuvion?

Por ser um procedimento exclusivo para tratar a flacidez da pele, o Renuvion pode ser utilizado em praticamente qualquer área do corpo. Além disso, o aparelho pode ser combinado a outros procedimentos, aumentando um pouco o tempo de cirurgia e de recuperação, mas proporcionando resultados muito mais satisfatórios.

Quais são os candidatos ideais e como prolongar os resultados?

Os candidatos ideais para o procedimento são as pessoas que possuem hábitos de vida saudáveis, praticam algum tipo de exercício físico e seguem uma dieta balanceada.

Da mesma forma, para prolongar os resultados do Renuvion, a paciente precisa manter uma alimentação  saudável e equilibrada, além de praticar atividades físicas.

Gostou do artigo sobre Renuvion? Então compartilhe o link e ajude a divulgar o procedimento para outras pessoas que podem se beneficiar dele.

Texto escrito por:
Dra. Fabiana Turchiari
Cirurgião Plástico
Maringá / PR

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Acesse a sua conta Guia Saúde e participe da nossa conversa

Compartilhar

Facebook Twitter LinkedIn Email