Matérias

Guia SaÚde Matérias

Coronavírus: a infecção da moda é mais do mesmo?

Infectologista

Coronavírus: a infecção da moda é mais do mesmo?

Texo escrito por: Dr. Luiz Jorge Moreira Neti

Há algumas semanas a epidemia de Coronavírus que vem ocorrendo na China tem chamado a atenção de todo o noticiário. Imagens de pessoas em trajes de ficção científica e pessoas com máscaras caindo em prontos-socorros lotados são compartilhadas pelo nosso Whatsapp a todo instante. Toda essa exposição da mídia leva as pessoas a questionar: como se proteger? 

O Coronavírus é um vírus respiratório que causa doença muito parecida com o da Influenza, o vírus da gripe. Essa epidemia em muito se assemelha àquela que tivemos por Influenza A H1N1 em 2009, dado que as taxas de transmissão - cada pessoa infectada pode transmitir o vírus para 4 pessoas - e as taxas de mortalidade - 2% dos doentes - são muito parecidas. A transmissão é por gotículas respiratórias emitidas através da fala, tosses e espirros, também semelhante à Influenza. Este vírus causa desde um quadro assintomático até um quadro de pneumonia viral e necessidade de suporte em UTI com ventilação mecânica nos casos mais graves, podendo levar ao óbito. A sintomatologia mais comum, porém, é a de febre, tosse, cansaço fácil e dores pelo corpo, que melhora em pouco tempo. Na maioria das vezes quem adquire esta infecção está curado em até 14 dias.

Esta doença não tem tratamento específico e, em caso de suspeita, o paciente deverá ficar internado em observação em isolamento para cuidados médicos. A maioria dos hospitais maiores dispõe de condições de atendimento de doentes com suspeita de Coronavírus.

Tendo tanta semelhança com a gripe, podemos utilizar as mesmas medidas de precaução: etiqueta da tosse (não tossir nas mãos e sim na manga da camisa, dobrando o braço em frente a boca); higienização das mãos com álcool gel após cumprimentar outras pessoas ou tocar em objetos como corrimãos e maçanetas; evitar aglomerações e procurar auxílio médico imediato caso haja suspeita.

Quero deixar aqui a mensagem: Temos outras prioridades, como as epidemias de dengue e sarampo que têm causado óbitos na nossa região, e a temporada de gripe que se inicia a partir de abril. Essas doenças juntas causarão muito mais morbimortalidade que o Coronavírus. Entretanto, as medidas de precaução deverão ser adotadas por todas as pessoas para podermos evitar seu contágio. Caso você tenha alguma dúvida, não hesite em procurar um infectologista.

 

Coronavírus: a infecção da moda é mais do mesmo?